Renault Kadjar

Renault Kadjar

Kadjar é o novo crossover para o segmento C da Renault, uma combinação de “kad” (ou quad) com “jar” (ágil).

A lutar no mesmo segmento que o primo Qashqai, posicionando-se entre os irmãos Captur e Espace, o novo Kadjar tem uma aparência exótica e atlética a sugerir aventura e procura de novos horizontes.

Disponível em versões de 2 e 4 rodas motrizes, o Kadjar promete ser espaçoso, nos seus 4.45 metros de comprimento e 1.84 metros de largura (e uma bagageira de 472 litros), ao mesmo tempo ágil em cidade e fora dela. Não parece, mas é, um pouco maior que o primo Qashqai, com quem comparte a plataforma e muitos elementos mecânicos. Promete vir a ser também, mais barato.

O Kadjar é um veículo global para o mercado europeu e vários países africanos, representa também a entrada da marca francesa em mercados onde não marcava presença.

O interior, simultaneamente desportivo e requintado, graças à qualidade dos materiais e acabamentos, está equipado com o sistema R-Link 2®, também presente no Espace. No Kadjar podem-se também encontrar os mais recentes sistemas de ajuda à condução: assistência à travagem, aviso de saída da faixa de rodagem, reconhecimento da sinalização rodoviária com alerta dos limites de velocidade, câmara de marcha atrás, etc. etc.

Na europa, a oferta mecânica conterá as já conhecidas ofertas diesel 1.5 e 1.6 dCi, de 110 e 130 cavalos, respectivamente. Em Espanha, está disponível também uma motorização a gasolina de 130 cavalos, mas não tenho informações suficientes para afirmar que vem para Portugal.

Na versão de apenas 2 rodas motrizes, o Kadjar dispõe do sistema Grip Control, que associado a pneus “Mud and Snow”, permite manter a aderência em condições difíceis.

Na versão de tracção total, o sistema utilizado é similar ao do Duster e do Qashqai, com um comando selectivo entre os modos Auto, Lock e 2WD.

Possui ângulo de ataque e saída de 18 e 25 graus, respectivamente. A distância ao solo é de 19 cm. Esta distância será diferente em Portugal, por culpa da nossa ultrapassada forma de homologar a classe nas autoestradas. Tal como está, a distância do capot, na vertical, ao eixo das rodas da frente, excede a Classe 1 (1.10 m) em 2.5 centímetros.

Sendo assim, a suspensão terá de ser modificada, rebaixando-a, o que vem atrasar a entrada do Kadjar no nosso mercado, estando previsto acontecer durante 2016.

Actualização (31/01/2017)

O Renault Kadjar, chegou finalmente a Portugal. Para não ser obrigado a pagar classe 2 nas portagens, fruto de uma regra antiquada sem qualquer lógica, foram feitas alterações na suspensão. Não rebaixando o veículo, como estava previsto, mas sim aproveitando uma excepção da lei, “se o carro tiver 5 ou mais lugares e um peso bruto acima dos 2300 kg”, pode ser classe 1, desde que não tenha tracção às quatro rodas.

Ora, o peso bruto é o peso do carro mais o peso máximo admissível. O truque foi alterar o eixo semi-rígido que todos os Kadjar utilizam nas versões 4×2 pelo eixo traseiro independente multi-braços, o mesmo da versão 4×4, que cá não vai ser comercializada. Com base nisto, o peso do Kadjar “português”, engordou 46 kg (passou para 1426 kg), um peso bruto de 2305 kg.

A distância ao solo mantém-se e a capacidade de carga sobe para 879 kg, ou seja, mais 383 kg que um Kadjar “normal”. Na fase de lançamento, o Kadjar português só terá uma motorização, diesel 1.5 dCi de 110 cavalos e caixa manual de seis relações. Mais tarde, será adicionado o bloco 1.6 dCi.

Está disponível em duas versões, a XMOD, com Grip Control, que melhora a aderência em pisos escorregadios, por 29.710 euros; e a Exclusive, por 31.490 euros.

Texto: Vítor Penedo
Fonte: Renault

(1792)

Partilhe
RSS
Follow by Email
Facebook
Facebook
Google+
http://www.4rodaspt.com/2015/12/renault-kadjar/
Twitter
SHARE